Relatório Semanal – Mercado de café no Brasil – 30 nov. a 04 dez. 2020 | Atlantica
Ordem Mínima
+55 35 3222 0495 Av. Princesa do Sul, 1885 | B. Rezende, Varginha, MG, Brasil | CEP: 37062-447

Relatório Semanal – Mercado de café no Brasil – 30 nov. a 04 dez. 2020

por dez 4, 2020Relatório de mercado0 Comentários

KCNY e BRL/USD
Ao longo da semana, KCH1 acumulou quedas acima de 700 pontos. Nos primeiros dias, o vencimento março/21 alcançou os 124.45 usc/lb, dando sequência às altas vistas em novembro, porém sofreu quedas expressivas, alcançando a mínima de 117.20 usc/lb na quarta-feira, após movimentos de realização de lucro em KCNY.

Em novembro de 2020, o mercado de café acompanhou as preocupações com o clima no Brasil, os efeitos do furacão nas lavouras de Hunduras – o maior produtor da América Central- , o otimismo com a vacinas contra a Covid-19, as eleições americanas, entre outros aspectos fundamentais e técnicos.

Nos primeiros dias de dezembro, o real valorizou mais de 4% em relação ao USD, sendo cotado entre 5.3968 e 5.1205, renovando a mínima de 4 meses. Os números refletem o enfraquecimento global do dólar e uma melhora dos sentimentos dos investidores em relação ao Brasil. Até o momento da finalização deste relatório o dólar comercial está cotado a 5,1390 e H1 @120,05.

TEMPO/CLIMA
As regiões produtoras registraram em novembro, índices pluviométricos abaixo das médias históricas, como também visto nos 6 meses anteriores. Entretanto, o mês de dezembro chegou trazendo chuvas para as principais regiões produtoras de café do Sudeste. A precipitação deve se intensificar nos próximos dias com a chegada de uma frente fria, trazendo chuvas abrangentes e persistentes, de acordo com a SOMAR Meteorologia.

As previsões pressionaram as fortes quedas nas cotações de KCNY registradas nesta semana. As chuvas favorecem a recuperação das lavouras depauperadas, com a emissão de novas folhas e brotações. Para as lavouras de potencial produtivo para 2021, já se observa o início da formação dos chumbinhos.

MERCADO DOMÉSTICO E FOB
Até o final de novembro, os produtores não estavam muito ávidos a realizar negócios nos níveis de mercado, porém, nos últimos dias do mês, com o avanço dos preços futuros, alguns negócios foram realizados no mercado doméstico para entrega em 2022, voltando a acalmar após as quedas expressivas do mercado.

Há pouco interesse para entrega em 2021, haja vista a expectativa dos produtores de haver significante quebra de safra no próximo ano. Muitos produtores aguardam maior valorização do mercado para vender sua produção. Com o recebimento da safra recorde 20/21, os armazéns gerais operam próximos à capacidade máxima.

Em relação a demanda FOB, muitos importadores relatam terem realizado bons negócios nos meses anteriores, não havendo necessidade de aumentar seus estoques agora, mantendo as vendas para o mercado externo pouco ativas. No geral, há pouca liquidez em ambas as pontas, aumentando a distância entre base compradora e vendedora.

EXPORTAÇÕES DE CAFÉ VERDE
De acordo com os dados do Ministério da Economia divulgados na terça feira, o Brasil registrou em novembro de 2020 um novo recorde histórico de exportação mensal de café verde/cru, totalizando 4,6 milhões de sacas de 60 kg de café verde (+ 39,5% a.a.). O relatório da CECAFE para o mês 11 ainda não foi divulgado.

LOGÍSTICA INTERNACIONAL NO BRASIL
Os espaços em navios e disponibilidade de contêineres padrão alimento seguem sendo muito disputados nas exportações brasileiras, sendo assim, primordial, que os importadores enviem as instruções de embarque com a máxima antecedência possível.

COVID-19 NO BRASIL
Casos: 6,49 M
Mortes: 175 mil
Recuperados: 5,73 M

Vamos continuar acreditando e investindo na cultura do café!

Fiquem bem,
Equipe Atlantica Coffee

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.