Relatório Semanal – Mercado de café no Brasil – 01-05 fev. 2021 | Atlantica
Ordem Mínima
+55 35 3222 0495 Av. Princesa do Sul, 1885 | B. Rezende, Varginha, MG, Brasil | CEP: 37062-447
  1. Início
  2. /
  3. Relatório de mercado
  4. /
  5. Relatório Semanal – Mercado...
  1. Início
  2. /
  3. Relatório de mercado
  4. /
  5. Relatório Semanal – Mercado...
  1. Início
  2. /
  3. Relatório de mercado
  4. /
  5. Relatório Semanal – Mercado...

Relatório Semanal – Mercado de café no Brasil – 01-05 fev. 2021

por fev 5, 2021Relatório de mercado13 Comentários

Bolsa de NY e dólar
Março/21 :
Mín: 122,40 | Máx: 129,30 | Last: 127,10 USC/lb
BRL/USD: Mín: 5,3217 | Máx: 5,4856 | Last: 5,3610
*Dados até a finalização deste relatório.

Em uma semana de elevada volatilidade, os preços do contrato março/21 chegaram próximos dos 130 e também dos 120 usc/lb, registrando apenas no primeiro dia altas acima de 400 pontos.

O mercado acompanhou as preocupações com o clima dos países produtores, movimentos técnicos, o cenário macroeconômico global e brasileiro, as quedas do dólar, os embarques do Brasil e alta para 1.638 milhões de sacas nos estoques certificados de arábica da ICE.

LOGÍSTICA
Faltam contêineres com a maioria dos armadores. Temos observado significativo aumento na omissão de navios e rolagem de bookings. Os armadores têm reduzido o período de freetime na origem. Fluxo normal de caminhões nas operações de café durante a semana.

MERCADO DOMÉSTICO e FOB EXPORTAÇÃO
Os preços do arábica seguiram firmes e elevados, entretanto, como temos comentado, os produtores estão capitalizados e cautelosos para vender seus estoques remanescentes da safra 20/21, pois acreditam em novas altas do mercado, travando os preços no mercado doméstico.

Apesar da calmaria, foram realizados alguns negócios pontuais para atender demandas a curto prazo do mercado externo. Na segunda feira, a Organização Internacional do Café (OIC) divulgou que as exportações globais de café do Brasil aumentaram em 6,1% para 31,59 milhões de sacas entre outubro a dezembro.

LAVOURAS
As lavouras apresentam bom vigor vegetativo, enchimento dos grãos e crescimento dos ramos dentro da normalidade, o que é muito importante para as próximas duas safras. Ainda assim, as condições climáticas do meses anteriores e o La Nina serão sentidos na safra 21/22.

Muitos cafeicultores planejam realizar nova adubação no mês de fevereiro e relatam elevado preço do insumo. Estamos há cerca de 2 meses do início da colheita da safra 21/22 em regiões cafeeiras mais baixas e quentes do Brasil.

TEMPO/CLIMA
De acordo com a Somar Meteorologia, o acumulado de chuvas no mês de janeiro entre São Paulo, Sul de Minas e Cerrado mineiro foi de 100 a 150 mm, valores inferiores às médias históricas para o mês em cerca de 40%. Na última semana de janeiro, Minas Gerais, o maior produtor de arábica do Brasil, recebeu 1,5 mm de chuvas, apenas 3% da média histórica, dado que deu suporte aos preços do café.

Os primeiros 4 dias de fevereiro foram quentes e poucas chuvas. Para os próximos 7 dias, a chegada de uma frente fria muda as condições de tempo nas regiões de arábica, estando previstas temperaturas mais amenas e ocorrências de fortes chuvas, como abaixo:

200mm – região central de Minas Gerais
175mm – Zona da Mata e sul do Espírito Santo
50mm a 100mm – Sul de Minas e Mogiana
50mm – Cerrado

COVID-19 NO BRASIL
O Brasil tem registrado nos últimos 15 dias a média de 1 mil vidas perdidas diariamente.

Vacinados desde 17 jan: + 3 mi
Porcentagem da população vacinada: 1,44 %
Casos: + 9.4 mi
Mortes: + 229 K
Recuperados: + 8,37 mi

Vamos continuar acreditando e investindo na cultura do café!

Fiquem bem,
Equipe Atlantica Coffee

13 Comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.