Relatório Semanal Mercado de café no Brasil – 16 a 20 de agosto de 2021 | Atlantica
Ordem Mínima
+55 35 3222 0495 Av. Princesa do Sul, 1885 | B. Rezende, Varginha, MG, Brasil | CEP: 37062-447
  1. Início
  2. /
  3. Relatório de mercado
  4. /
  5. Relatório Semanal Mercado de...
  1. Início
  2. /
  3. Relatório de mercado
  4. /
  5. Relatório Semanal Mercado de...
  1. Início
  2. /
  3. Relatório de mercado
  4. /
  5. Relatório Semanal Mercado de...

Relatório Semanal Mercado de café no Brasil – 16 a 20 de agosto de 2021

por ago 20, 2021Relatório de mercado1 Comentário

Siga e ouça no spotify! Novos episódios aos sábados pela manhã.

KCNY e câmbio
Em uma semana de oscilações entre fundamentos altistas e fatores macroeconômicos de baixa, o contrato C dezembro/21 fechou a semana a 181.50 USC/lb, uma variação semanal negativa de 425 pontos.

  • O mercado continuou sustentado pela preocupação com a oferta mundial, acompanhando o clima pouco favorável no Brasil e em outros países produtores. A probabilidade de ocorrer La Niña no fim segundo semestre aumentou para 70%, fenômeno preocupante para as safras da Ásia e América Central;
  • Ainda estão sendo feitas avaliações dos danos das geadas de julho nos cafezais brasileiros e diferentes estimativas têm sido divulgadas, mas não há dúvidas sobre o grande impacto na produção de 2022;
  • Do lado baixista, o avanço da variante Delta preocupa em relação às aberturas globais e demanda, além do aumento dos estoques GCA de café verde dos EUA, que subiu em 300 mil sacas para 6,017 milhões de sacas no final de julho, o maior volume desde outubro desde o ano passado;
  • Também houve forte desvalorização do real e alta do dólar, que subiu para R$5,47, pressionando os preços das commodities, incluindo o café;
  • Em um mercado mais averso a riscos, a crise de confiança no Brasil é um gatilho para a saída de capital do país. A disparada da inflação nos últimos meses, o parcelamento de precatórios e criação de Bolsa Brasil colocam em risco o teto de gastos do Brasil e a dívida pública.

Dezembro/21: Min: 178.10 | Max: 189.25 | Last: 181.50 USC/lb
BRL/USD: Mín: 5,2292| Máx: 5.4741 | Last: 5.4071
*Dados até a finalização deste relatório 


CLIMA

  • Houve chuvas pouco significativas no início da semana na Zona da Mata e algumas áreas do sul de MInas;
  • Uma grande massa de ar seco predomina sobre o Brasil, com alerta de baixa umidade do ar, ausência de chuvas e sol forte;
  • De acordo com o Clima Tempo, temperaturas de 35°C a 38°C são esperadas em áreas do Sudeste, com a ausência de massa de ar polar e maior insolação natural de agosto;
  • Alguns modelos climáticos têm apontado retorno de chuvas no final da próxima semana e início de setembro nas principais regiões de arábica, mas os volumes ainda precisam ser confirmados com o tempo. Neste período grande parte das lavouras no Brasil já terão finalizado ou estarão caminhando pro fim da colheita 2021/2022;
  • Bons volume de chuvas em setembro e outubro são primordiais para a florada e condições da lavoura para a safra 2022/2023.

MERCADO DOMÉSTICO e FOB

  • Em mais uma semana de baixa liquidez, os negócios foram pouco movimentados no mercado interno e externo;
  • Muita procura por café Rio Minas 17/18 e 15/16, entretanto, os negócios não avançam, seja pela oferta muito escassa ou o grande descompasso entre preço de oferta do mercado interno e de demanda dos importadores;
  • Os vendedores no mercado interno estão extremamente firmes nos preços, travando as oportunidades de negócios casados com o exterior;
  • Arábica bica bebida dura tipo 6/7 em torno de R$1000-R$1070, variando entre regiões;
  • Há poucos vendedores de café ativos no mercado interno, com os produtores concentrados nas entregas futuras e avaliando os impactos climáticos nas lavouras;
  • A colheita no Brasil caminha para o final, com cerca de 95% ja colhido na Zona da Mata e 80-85% no Sul de MInas e Cerrado,

LOGÍSTICA
Os desafios no Brasil continuam refletindo a situação mundial de caos logístico, que já afeta todos os mercados.

  • Não temos encontrado nenhum contêiner padrão alimento com a MSC nas últimas semanas;
  • A falta de contêineres também é crítica com a Maersk e Hapag Lloyd para cumprir todos os embarques contratados com estes armadores;
  • Demais armadores também apresentam baixo estoque de equipamentos;
  • Seguem frequentes as muitas rolagens de carga, grande dificuldade em encontrar espaço nos navios, atraso na liberação de cargas e pre stacking, gerando atrasos nos embarques de café;
  • Alguns analistas apontam que a situação vai persistir e há risco de piora nos próximos meses, até 2022, quando os fluxos globais devem começar a normalizar;
  • Novas reservas:
    • Europa: já fechado para novas rotas em navios de setembro/21. Alguns destinos já estão fechados para novas reservas;
    • USA: conseguimos nesta semana algumas reservas de espaço para final de setembro, outubro e até em novembro/21. Hoje espaço em setembro/21 já não é mais possível, apenas de outubro em diante;
    • Japão: disponibilidade apenas para meados/final de setembro/21;

COVID-19 NO BRASIL
O Brasil passa por um momento de alívio nos hospitais, com o avanço da vacinação e consequente queda de incidência de casos, internações e taxa de mortalidade nas últimas oito semanas consecutivas. Mais de 25% da população brasileira tomou a segunda dose ou a dose única de vacinas contra a Covid.

Pessoas que receberam a primeira dose: +120 mi (56,78% da população)
Pessoas totalmente vacinadas: +53 mi (25,24% da população)
Casos: + 20.49 milhões
Mortes: 572.733 mil 

1 Comentário

  1. Muito bom! Cada dia melhor!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.