Atualização Semanal COVID -19

(35) 3222-0495   |    (31) 98258-7114   |   Seg-Sex 08h às 18h   |   Av. Princesa do Sul, 1885 – Jardim Andere, Varginha – MG, 37062-180

Estimados parceiros,

Ao longo desta semana, uma soma de acontecimentos deu suporte ao movimento de alta do dólar frente ao real, batendo R$ 5,875 nesta quinta-feira, 7, mais um novo recorde nominal de desvalorização da moeda brasileira.

A taxa Selic, taxa básica de juros da economia, passou de 3,75% a.a. para 3% a.a., o menor patamar histórico, o que reduz o interesse dos investidores pelos títulos públicos brasileiros. A agência de classificação de risco Fitch revisou o rating do Brasil para BB- (negativo). O Ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que a economia brasileira está “começando a colapsar” devido à pandemia.

Aqui no Brasil, os preços no mercado à vista estão mais caros do que as ofertas da safra nova que já começaram a aparecer. Isso porque há pouco café disponível, típico de entressafra. Em paralelo, percebese a baixa demanda do exterior por novos negócios para o curto e médio prazos.

O clima e a uniformidade dos frutos de café estão favoráveis para uma safra recorde e de qualidade muito boa no Brasil. Em algumas regiões do país, a colheita está em andamento, com adaptações preventivas na rotina das fazendas, mas sem dificuldades. Com a intensificação da colheita entre maio e junho, há maior necessidade de mão de obra, momento em que podem surgir problemas se não forem mantidos os cuidados preventivos necessários.

Para a safra 2020/2021 bons volumes foram comercializados, mas com opiniões bem diversas em torno do percentual em relação a produção. As previsões otimistas para a oferta vêm acompanhadas de dúvidas em relação à demanda global de café, diante da queda do consumo fora de casa, as preocupações acerca do aumento da taxa de desemprego em patamares expressivos, entre outros.

A pandemia do Covid-19 modificou todas as relações globais. Em um cenário de tantas incertezas, grandes são os impactos nos ambientes econômico, social e emocional que interferem na rotina e na tomada de decisão dos indivíduos, empresas, governos e nesse contexto, da cadeia do café.

Muitas são as variáveis a serem analisadas e suas possibilidades. Somente com o tempo poderemos entender a dimensão desses impactos nos novos tempos que estamos vivendo.

Vamos continuar acreditando e investindo na cultura do café!

Fiquem bem!
Equipe Atlantica Coffee