Notícias

Café arábica em grão verde cru | O que é, origem e características

Café arábica em grão verde cru | O que é, origem e características

O café é uma bebida que possui diferentes espécies e origens e entre os melhores do mundo é possível classificar o café arábica do Brasil. Referência em qualidade e originário da Etiópia, esta é a principal espécie de café comercializada para bebida no mundo.

 

Catalogado no ano de 1753, é naturalmente doce, possui aroma forte, o que se resume em uma bebida ligeiramente ácida e corresponde cerca de 75% da produção mundial.

 

O nome “arábica” surgiu pelo fato de a Arábia ter sido responsável pela propagação da cultura do café. Caracterizado por produzir cafés mais finos e requintados, o café arábica, cultivado geralmente em altitudes entre 600 – 1200 metros no Brasil, é conhecido pelo seu aroma intenso e sabores variados, bem como níveis de corpo e acidez. 

 

É um tipo de café que costuma passar por cuidados minuciosos desde a lavoura até o ensacamento, o que resulta em um café com notas complexas e de alto valor agregado no mercado de exportação de café arábica.

 

Os frutos de café arábica produzem grãos de cor esverdeada e possui um grande número de variedades, diferindo uma das outras sob inúmeros aspectos, porém todas elas dotadas de potencial para produzir uma excelente bebida.

 

Café 100% arábica: entenda seu real significado

Plantas de café arábica é são cultivadas em elevadas elevadas altitudes, detalhe que faz toda a diferença, pois tem a maturação mais lenta, e se colhidos no estádio cereja, têm maior complexidade em sabor e aroma.

 

O café arábica é a espécie mais cultivada em Minas Gerais onde a florada ocorre no período de chuvas, em  estações bem definidas, típico do estado mineiro.

 

Geralmente, os cafés da espécie arábica são mais doces, encorpados, o que deixam um gostinho prolongado na boca, podendo apresentar características sensoriais ainda mais distintas, o que permite um sabor mais agradável sem o amargor característico do conilon/robusta que apresenta maior teor de cafeína.

 

Tipos de café arábica comercializados pela Atlantica Coffee

 

A exportadora de café arábica Atlantica Coffee desenvolveu diversos blends, todos formados apenas por café arábica, que resultam em diferentes características, aromas e sabores. 

 

Nossos blends são formados por cafés originados de cafeicultores brasileiros, que foram desenvolvidos minuciosamente por nossa experiente equipe de qualidade visando atender os diferentes mercados internacionais.

 

As linhas de café da Atlantica Coffee tem origem de diversas regiões produtoras de café arábica, especialmente Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo e Bahia. Veja as características de cada uma delas a seguir:

 

Referência na exportação de café, a Atlantica Coffee que está há 20 anos no mercado desenvolveu 9 blends, cada um com um sabor único e aroma inigualável para agradar os mais diversos e exigentes paladares. O nome dos nossos blends de café verde arábica foi inspirado na peculiar e exuberante beleza das pedras preciosas brasileiras.

 

Café Safira

 

Caracterizado pela sua doçura, o Safira é um blend de grãos verdes de café arábica lavados, processo via úmida que chama a atenção pela sua acidez média, corpo consistente, de bebida limpa e suave. 

 

Café Rosa Morena

 

O café verde Rosa Morena é um café arábica superior, com origens no Cerrado Mineiro e Alta Mogiana. Sua combinação simétrica de acidez suave, doçura delicada, corpo equilibrado e aroma predominantemente floral são as principais características desse blend.

 

Café Ágata

 

O café arábica Ágata possui uma doçura natural marcante, com acidez balanceada, bom corpo e finalização suave. A percepção sensorial é de um café encorpado que preenche toda a boca, passando a sensação de maciez.

 

Café Esmeralda

 

A acidez marcante é a principal característica do café arábica Esmeralda, considerado um café fino, corpo médio, strictly soft, bebida limpa e uniforme.

 

Café Turmalina

 

O café Turmalina é um café natural, good cup, de bebida dura e finalização levemente amarga. Esse café geralmente é utilizado para dar harmonia ao blend.

 

Café Rubi

 

O café Rubi é um café arábica de processo natural, good cup, com xícaras defeituosas (até 2 copos riados em 10).

 

Café Topázio

 

O café Topázio é um café arábica natural, apresenta xícaras duras, riados e até dois copos rio com finalização amarga.

 

Café Onix

 

Natural de Rio Minas, o café onix que possui sabor característico. Apresenta um sabor marcante e faz parte da cultura e tradição em muitos países, especialmente no Leste Europeu e Oriente Médio.

 

Café Turquesa

 

O café Turquesa é um café arábica semi-lavado, com acidez e corpo equilibrados, livre de defeitos e possui característica de torra uniforme.

Formulário

para o produtor

Clique aqui

Formulário

para o cliente

Clique aqui

SUSTENTABILIDADE



O Brasil é líder mundial de produção e exportação de café. Além da busca pelo aumento da produtividade, é crescente o esforço dos produtores para a produção de cafés de qualidade e a satisfação dos critérios ambientais, sociais e econômicos do mundo todo.

Através das certificações, os cafeicultores se adequam às boas práticas agrícolas, ambientais, sociais, de segurança alimentar e permitem a rastreabilidade dos grãos.

A Atlantica Coffee está junto nessa caminhada, através dos grupos de certificação que trazem muitas vantagens ao cafeicultor que se adequa para as certificações, caminhando juntos para um objetivo em comum.

Trabalhamos com certificados e programas como:

UTZ
Rainforest Alliance
C.A.F.E Practices – Starbucks
4C
Certifica Minas

X

A Rainforest Alliance é uma organização não governamental que trabalha para conservar a biodiversidade e garantir meios de vida sustentável, influenciando nas práticas de uso da terra, nas comerciais e no consumo.

Essa organização confere um certificado ou selo de garantia, que identifica o produto como produzido com responsabilidade.

Para isso, foi desenvolvido um sistema de Certificação de Cadeia de Custódia (CoC) que estabelece critérios para as auditorias nas empresas que adquirirem produtos de fazendas certificadas pela Rainfores Alliance

A CoC consiste no processo de rastreamento de um produto desde sua origem numa fazenda certificada até o consumidor final, passando por todos os estágios intermediários de fabricação, transporte, comercialização e armazenagem, garantindo que a declarações de sustentabilidade sejam comprovadas.

Os serviços de auditoria e certificação da Rainforest Alliance são gerenciados e implementados dentro de sua unidade de negócios RA-Cert, uma certificadora autorizada que realiza auditorias nos Padrões de Agricultura Sustentáveis ​​da Rainforest Alliance.

Sendo assim, as fazendas e empresas certificadas passam a usar o selo do sapo verde Rainforest Alliance Certified.

X

A Associação Brasileira de Cafés Especiais – BSCA, em inglês – Brazilian Specialty Coffee Association é uma certificação que tem como principal função difundir e estimular o aprimoramento técnico na produção, comercialização e industrialização dos Cafés Especiais.

A ideia é elevar os padrões brasileiros de excelência, oferecidos aos mercados interno e externo.

O órgão entende por Cafés Especiais os grãos isentos de impurezas e defeitos, com atributos sensoriais diferenciados. Eles incluem a bebida ser limpa e doce, com corpo e acidez equilibrados.

Além dessas qualidades, os Cafés Especiais devem ter rastreabilidade certificada e respeitar critérios de sustentabilidade ambiental, econômica e social em todas as etapas de sua produção.

A BSC é a única instituição brasileira a certificar lotes que podem ser monitorados por meio de selos de controle de qualidade de Cafés Especiais.

Em 1998, em parceria com a Alliance for Coffee Excellence (ACE), a BSC criou o Concurso de Qualidade Cafés do Brasil – Cup of Excellence. Esse concurso possibilita os produtores a vender seus cafés, via leilão pela internet, a preços mais bem valorizados em relação aos dos mercados convencionais.

X

A certificação UTZ (UTZ Certified) é um selo que atesta a agricultura sustentável, presente em aproximadamente 10 mil pacotes de produtos diferentes em mais de 116 países.

Essa certificação garante aos consumidores a preocupação com a sustentabilidade de toda cadeia envolvida em levar o produto à sua mesa.

Para obter a certificação, todos os fornecedores da UTZ devem seguir seu Código de Conduta.

Nesse documento, são oferececidas orientações especializadas sobre melhores métodos de cultivo, condições de trabalho e cuidados com a natureza.

A partir de 2014, a UTZ Certified tornou-se o maior programa de cultivo sustentável de café e cacau no mundo. Esse programa abrange certificação de café, cacau, chá e avelãs.

X

O Certifica Minas tem como principal objetivo ampliar a inserção competitiva da produção agropecuária mineira em relação aos mercados nacionais e internacionais.

Seu foco é superar as restrições relacionadas à preservação de plantas e animais, também conhecidas como normas zoofitossanitária.

O órgão atua na rede de desenvolvimento rural, com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), como responsável pelo Programa.

Essa certificação identifica nas propriedades produtoras de café a necessidade de manutenção e melhoria efetiva da qualidade, de modo a valorizar os cafés mineiros, visando novos mercados, geração de empregos, aprimoramento no atendimento, manejo adequado do solo, entre outras exigências.

X

A certificação 4C consiste não só na aplicação dos altos padrões do café, mas também sobre as condições econômicas, sociais e ambientais condizentes na produção e processamento desses grãos, estabelecendo assim cadeias de fornecimento sustentáveis mais seguras e confiáveis.

O café é considerado compatível com 4C quando produzido de acordo com o Código de Conduta desse sistema de certificação para café sustentável, que estabelece um conjunto de práticas e princípios básicos de sustentabilidade para o cultivo dos grãos verdes.

A conformidade pode ser demonstrada pelo Sistema de Certificação e dos Certificados 4C, que são posteriormente emitidas. Os cafés 4C são produzidos em 28 países por mais de 500.000 agricultores.

www.4C-services.org

Siga-nos no Instagram

@atlanticacoffeebrasil